Brasil recebe primeira universidade corporativa da GE na AL

Padrão
O Brasil será o quinto país do mundo a contar com uma extensão de Crotonville, a lendária universidade corporativa da GE. Baseada no Rio de Janeiro, no terceiro andar do prédio que também acolhe o novo Centro de Pesquisas Global da companhia, Crotonville Rio recebe investimentos de US$ 50 milhões e funcionará como o centro de formação e qualificação de líderes da GE na América Latina – reforçando a posição estratégica do País para o futuro de suas operações globais.
“Como o terceiro maior mercado mundial da GE, o Brasil está naturalmente qualificado para se tornar referência no desenvolvimento dos futuros líderes que nós precisamos para a região”, destaca Reinaldo Garcia, presidente e CEO da GE para a América Latina. “Ter líderes alinhados com os valores da empresa e que tenham como background o amplo conhecimento do mercado brasileiro e latino-americano será fundamental para sustentar nosso crescimento regional”, complementa.
Ao todo, os profissionais da GE terão 85 opções de cursos com duração de um dia a dois anos. Vinte e cinco professores e executivos da GE, vindos de diversos países da América Latina, irão ministrar as aulas. A expectativa é de que aproximadamente 60% dos alunos sejam brasileiros e 40% dos executivos venham de outras partes do mundo.
Contexto Brasil
Crotonville Rio terá importantes diferenciais em relação aos demais centros de formação da GE ao redor do mundo. A programação e a grade curricular incluem atividades adaptadas especificamente ao cotidiano e aos hábitos dos brasileiros. Será possível, por exemplo, ter aulas ao ar livre, inclusive na praia, ou praticar esportes e outras atividades que promovem a interação entre os participantes. Do futebol, extrai-se o trabalho em equipe. Da corrida, a determinação e a superação.
A universidade brasileira também conta com diversas áreas de convivência, outro quesito visto com grande importância pelos brasileiros. Uma delas é o Café 56, cujo nome faz alusão ao ano de fundação da matriz Crotonville. São diferentes espaços construídos com o objetivo de favorecer o compartilhamento de informações e experiências, o que ajuda a manter os alunos conectados à filosofia de aprendizado da unidade.
“As atividades conduzidas dentro e fora da universidade reforçam o desenvolvimento de características como gestão, liderança e inovação. Trata-se de uma filosofia avançada e adaptada às demandas dos novos executivos. E que também ajuda a complementar o aprendizado obtido no dia-a-dia e em sala de aula”, explica Ana Lucia Caltabiano, diretora de RH da GE para a América Latina. “Essa prática ajuda a proporcionar um crescimento sustentável para a companhia e para os nossos funcionários, fortalecendo a GE como uma empresa desejada por executivos que buscam novas oportunidades e desafios.”
Crotonville (NY)
Crotonville, a matriz da universidade corporativa da GE, foi fundada em 1956 na cidade de Ossining (NY), nos Estados Unidos. Foi a primeira universidade da história a ser fundada por uma empresa com o objetivo de treinar seus próprios funcionários. Desde então, de Jack Welch ao atual CEO, Jeff Immelt, todos os 12 presidentes mundiais da GE passaram pelas salas de aula da universidade – primeiro como alunos, depois como professores. Desde a sua criação, Crotonville é parte obrigatória da formação dos CEOs da empresa.
A expansão global da universidade da GE começou em 2000, com a abertura de uma unidade na Índia. Nos anos seguintes, surgiram novas filiais na Alemanha e na China. Todas funcionam sob os mesmos princípios da meritocracia — o que vale para os alunos e também para os professores, que em boa parte são os próprios executivos da empresa.
Estratégia global
A GE dedica mais de US$ 1 bilhão por ano no desenvolvimento de seus próprios executivos – investimento que traz como retorno o reconhecimento do mercado. A edição 2014 da Top Companies for Leaders, divulgado nesta semana pela consultoria global de RH Aon Hewitt, coloca a GE na liderança do ranking, que lista as melhores companhias para líderes. O resultado marca um crescimento significativo da GE, que apareceu na 11ª posição na edição anterior, divulgada em 2011.

GE abre inscrições para trainees em 5 áreas

Padrão
Referência mundial na formação de lideranças executivas, a GE do Brasil oferece uma nova oportunidade para estudantes e recém-formados interessados em construir uma carreira dentro da companhia. Para formar uma nova turma de seu Programa de Trainee, com inscrições abertas até 15 de outubro, a GE seleciona graduados entre dezembro de 2012 e dezembro de 2014 para cinco diferentes áreas: Finanças (FMP), Tecnologia da Informação (ITLP), Meio Ambiente, Saúde e Segurança do Trabalho (EHSLP), Marketing/Comercial (CLP) e Operações e Manufatura (OMLP).
As inscrições devem ser feitas pelo endereço ge.com/br/carreiras e mais detalhes sobre o programa podem ser acessados na página oficial da GE no LinkedIn. As vagas estão voltadas para candidatos com formação preferencial nas áreas de Administração, Análise de Sistemas, Ciência da Computação, Contabilidade, Comércio Exterior, Economia, Engenharias (Computação, Produção, Mecânica, Elétrica, Eletrônica e Industrial), Marketing, Publicidade e Propaganda, Relações Públicas e Relações Internacionais, entre outras.
Com duração de dois anos, o Programa de Trainee da GE é dividido em até quatro rotações por uma ou mais unidades de negócio, sendo que uma delas poderá ser realizada no exterior. Além desse diferencial, os candidatos terão a chance de aproveitar uma estrutura global de referência no desenvolvimento de lideranças. Nos últimos anos, a GE teve presença destacada em ranking do Hay Group, uma das mais conceituadas consultorias de Recursos Humanos do mercado, que lista as principais empresas globais na formação de líderes. Além disso, pelo terceiro ano consecutivo a GE está entre as empresas mais cobiçadas pelos profissionais brasileiros segundo a pesquisa “Empresas dos Sonhos dos Executivos”, realizada pela DMRH e Nextview People.
Requisitos e seleção
Por serem inseridos num ambiente global, é fundamental que o candidato domine o inglês e tenha mobilidade nacional e internacional, assim como um perfil proativo e de liderança. Ter noções em espanhol é desejável. O processo seletivo segue as seguintes etapas eliminatórias: candidatura; triagem curricular; teste online de inglês; entrevista coletiva ou em vídeo; apresentação presencial de case de negócios e painel de entrevista.