Red Bull Station abre inscrições para artistas e coletivos de tecnologia ocuparem seus ateliês

Padrão

Chamado Ocupação, o primeiro projeto do Red Bull Station em 2018 tem a intenção de fomentar a criatividade de artistas e coletivos da cidade, proporcionando a eles uma imersão em um dos ateliês que estão instalados dentro do prédio histórico em que funciona o local, no centro de São Paulo.

São quatro vagas para artistas, coletivos (de até cinco pessoas), grupos de estudos, criativos, gestores e/ou produtores culturais, que devem se inscrever até o dia 22/01 via Red Bull Tickets. Vale qualquer projeto ligado à arte, seja artes plásticas, esculturas, música, tecnologia etc. Os selecionados poderão usufruir da estrutura do Red Bull Station de 1º de fevereiro de 2018 até 28/2 e, ao final do período, participam de uma encontro público e compartilhamento dos projetos desenvolvidos. Além do espaço individual, os participantes poderão utilizar os ateliês colaborativos –um digital e o outro analógico– além de outros recintos do prédio.

Para se inscrever é preciso preencher uma ficha, explicando um pouco do projeto e das intenções com o trabalho. A lista com os artistas selecionados para ocupar o Red Bull Station em fevereiro será divulgada no site em 26/01, sexta-feira.

Serviço:
Convocatória para ocupação dos ateliês do Red Bull Station
Período de inscrições: até 22/01, via https://tickets.redbull.com/landingpage/0ioKBqfeRlvW7o5
Divulgação dos selecionados: 26/01
Período de ocupação: 01/02 a 28/02

Sobre o Red Bull Station
Localizado em um prédio de 1926, no centro de São Paulo, o Red Bull Station ocupa a antiga subestação Riachuelo, desativada desde 2004 e tombada como patrimônio histórico pelo Conpresp. Com foco em projetos  experimentais de arte, música e tecnologia, os cinco andares do Red Bull Station contam com estúdio de música, makerspace, um projeto permanente de residência artística, três espaços expositivos, um terraço e uma cafeteria. Para informações sobre a programação gratuita, consulte a agenda no site www.redbullstation.com.br

Tecnologia e sociedade. Hora de se renovar!

Padrão

Está numa fase intermediária? Sem emprego. Com muito tempo livre e precisando arejar a cabeça e renovar conteúdos. Talvez uma transitada por este evento, em vez das tradicionais salas apertadas e filas imensas das agências de emprego, seja tudo o que você precisa agora. No próximo dia 2 de setembro (sábado), das 11h às 20h, vai ocorrer a terceira edição do Festival Red Bull Basement, cujo o tema desta vez será Tecnologia e Sociedade. Uma série de palestras e oficinas, além de uma exposição, vão tomar conta do Red Bull Station, no Centro de São Paulo, para tratar especialmente sobre como projetos inovadores podem solucionar diversos tipos de questões sociais.

O modo como a tecnologia é capaz de ajudar no desenvolvimento democrático e maior participação popular, as ferramentas usadas para essa descentralização e os exemplos inovadores de cidadãos que tomam parte na gestão de assuntos de interesse público são os tópicos que vão nortear esta edição do Festival Red Bull Basement.

Um dos destaques entre os palestrantes é Luli Fadherer, professor-doutor de Comunicação Digital da ECA da USP e consultor para projetos de inovação digital. Ele vai falar a respeito da datacracia, o regime político cada vez mais baseado em dados, sensores e analytics, que usa informações pessoais para fins comerciais.

Aprender a usar o Arduino para criar um sistema de irrigação automatizada de hortas urbanas e construir um mobiliário urbano coletivamente estão entre as oficinas que serão oferecidas gratuitamente. Mais uma vez, haverá o Café Reparo, ponto de encontro de quem deseja consertar equipamentos ou dar novos usos a eles. A ideia é também interromper o ciclo de descarte.

Na programação também está prevista a apresentação dos projetos dos residentes da 3ª Residência Hacker, que selecionou seus protótipos de várias partes do Brasil. Durante a residência, eles ganham auxílio para desenvolverem seus projetos cujo objetivo final é resolver questões urbanas e deixar um legado para a sociedade.

PROGRAMAÇÃO

PALESTRAS

11h30 às 12h40 – “Vivendo Dentro da Máquina: Como Sobreviver à Datacracia do Futuro”
Com Luli Fadherer, professor-doutor de Comunicação Digital da ECA da USP e consultor para projetos de inovação digital.
Datacracia é o regime político cada vez mais baseado em dados, sensores e analytics, que muitas vezes causa problemas e miopias geopolíticas. Um exemplo é a operação do metrô de Londres estar nas mãos da Microsoft, que usa os dados obtidos para fins comerciais. A palestra vai abordar os riscos da manipulação de dados e o que isso significa.

Entrada gratuita.
Inscrições pelo link: https://tickets.redbull.com/landingpage/372

14h às 15h10 – “Litro de Luz: Iluminando o Mundo, uma Garrafa de Cada Vez”
Com Laís Higashi, presidente da ONG Um Litro de Luz, que leva energia elétrica a comunidades que vivem sem luz.
Ela vai contar como o movimento, que já alcança mais de 20 países, utiliza garrafas PET e energia solar para iluminar as casas de comunidades de todo o mundo.

Entrada gratuita.
Inscrições pelo link: https://tickets.redbull.com/landingpage/373

15h35 às 16h45 – “O Futuro das Manufaturas Distribuídas”

Com Jorge Lopes, doutor pela Faculdade de Engenharia Química da Unicamp.
O panorama atual e perspectivas futuras dos sistemas de manufatura aditiva e escaneamento 3D, que transformam a prática de designers, engenheiros e artistas, é tema da palestra de Jorge Lopes. A democratização e disseminação dos meios tecnológicos através de sistemas abertos, bem como as novas tecnologias que impactam a qualidade de vida e a longevidade, também serão abordadas.

Entrada gratuita.
Inscrições pelo link: https://tickets.redbull.com/landingpage/374

17h às 18h10 – “Empreendedorismo, Hardware e Impacto Social.”
Com Anielle Guedes.

18h25 às 20h – Apresentação dos Projetos Residentes da 3ª Residência Hacker.

Entrada gratuita.
Inscrições pelo link: https://tickets.redbull.com/landingpage/376
Lotação: 100 pessoas
Local: Auditório

OFICINAS

Synth Intro: Atari Punk Console
A portabilidade das novas tecnologias tem também modificado a forma como utilizamos o espaço público para o lazer. Atualmente, podemos criar equipamentos portáteis que promovem novas formas de fazer música e ocupar novos espaços na cidade.

A ideia desta oficina é montar um oscilador/sintetizador Atari Punk Console com sensor de luz para modular a frequência gerada. Esse circuito serve como porta de entrada para o mundo dos sintetizadores analógicos. É hackeável e versátil.

Vagas: 15
Carga horária: 11h às 13h.
Facilitação: Mauricio Jabur.
Local: Ateliê Analógico.
Grátis.

Inscrições pelo link: https://tickets.redbull.com/landingpage/377

Uso de Arduino para Irrigação Automatizada de Hortas Urbanas
Esta oficina visa potencializar a emancipação das pessoas através automatização da irrigação de hortas urbanas. O objetivo é montar e projetar o próprio sistema de controle e monitoramento da irrigação utilizando a plataforma Arduino. Além de hortas urbanas, esse sistema pode ser usado em iniciativas de agricultura urbana de médio porte. O caráter acessível e adaptável da plataforma Arduino permite que o sistema possa ser adaptado às necessidades específicas de cada usuário, ou seja integrado a outras técnicas, como a captação da água de chuva e o monitoramento climático local.

Vagas: 15
Carga horária: 11h às 17h.
Facilitação: Saulo Jacques e Marina Freitas.
Local: Makerspace.
*Obs.: os participantes precisam trazer seu notebook.

Grátis.
Inscrições pelo link: https://tickets.redbull.com/landingpage/378

Workshop de Design Paramétrico
Neste workshop os participantes conhecerão o processo de parametrização, criação e produção de mobiliário para corte em CNC Router. Também farão a montagem de um banco que ficará exposto no prédio. O workshop será ministrado pelo Studio dLux.

Vagas: 15
Carga horária: 14h às 15h30.
Facilitação: Studio dLux
Local: Galeria Principal
Grátis.
Inscrições pelo link: https://tickets.redbull.com/landingpage/380

Café Reparo
Projeto de difusão da cultura hacker, que tem como objetivo estimular a curiosidade para descobrir como as coisas funcionam.
Com o objetivo de interromper o ciclo do descarte e retomar ou dar novos usos a equipamentos existentes, o Café Reparo vai ser ponto de encontro de pessoas, coletivos e utilizadores de computadores, mobiliário e equipamentos elétricos e eletrônicos, interessados em reparar seus objetos e equipamentos e também aprender a fazer pequenos reparos, aumentando a vida útil de objetos considerados descartáveis.

Horário: 11h às 20h.
Local: Galeria Principal.
*Não é necessário inscrição. É só trazer seu objeto para conserto!

OFICINAS – PRÉ-FESTIVAL

Workshop e Execução de Fabricação Digital para Mobiliário Urbano*
Workshop de fabricação digital para mobiliário urbano, que será produzido pelo maker Forest CNC. Serão três encontros, onde os participantes terão um introdução a novas tecnologias de corte, aprenderão a desenhar o mobiliário e os construirão no terceiro encontro. Com Studio dLux.

Vagas: 15
Horário: 18h30 às 22h30.
Data: 28, 29 e 30/8
Local: Galeria Principal
Grátis.
Inscrições pelo link: https://tickets.redbull.com/landingpage/380
* Os alunos precisam ter domínio em AutoCAD ou Corel e deverão trazer seus notebooks no segundo e terceiro dias.

Olhar do Toque: Construindo mapas Táteis para Pessoas com Deficiência Visual
Nesta oficina construiremos um mapa tátil em grupo. Serão abordados temas como a colaboração da cultura faça-você-mesmo no desenvolvimento desses projetos, conceitos da tecnologia assistiva e a construção de diversos mapas táteis, passando por método artesanais à impressão 3D e corte a laser.
Durante o festival os mapas serão exibidos no Red Bull Station, onde serão mantidos como legado.

Data: 01/09
Vagas: 16
Carga horária: 14h às 18h.
Facilitação: Marcos Oliveira, fundador da plataforma MeViro.
Local: Ateliê Analógico.
Grátis.
Inscrições pelo link: https://tickets.redbull.com/landingpage/371

A oficina será detalhada e dividida em três fases:

Fase 1 – Apresentação e Conceitos

Apresentação dos conceitos de Tecnologia Assistiva;
Como o mundo maker e a cultura do faça-você-mesmo podem contribuir para construção de soluções para pessoas com deficiência;
Relato de uma pessoa com deficiência visual sobre seus problemas com mobilidade;
Apresentação de conceitos sobre mapas táteis;
Apresentação de diferentes mapas táteis.

Fase 2 – Mão na Massa

Para este momento, a ideia é que os participantes sejam divididos em grupos de 3 ou 4 pessoas. Cada grupo vai ser responsável pela construção de um mapa tátil. A sugestão é que sejam feitos quatro modelos de mapas táteis.

Na primeira fase, serão feitos mapas que utilizam materiais de baixo custo (papelão e palitos de dente) e que podem ser feitos por qualquer pessoa;
Na segunda fase, serão feitos mapas que utilizam os métodos atuais de prototipagem rápida, como impressão 3D e a cortadora a laser.

Fase 3 – Apresentação/Entrega dos Mapas e Cadastro na plataforma MeViro

A ideia é fazer uma apresentação dos mapas e dificuldades sentidas na construção. A pessoa com deficiência visual que estiver participando vai poder testar o mapa e dar sua opinião sobre os modelos criados.

Ao final da oficina, os projetos serão cadastrados na plataforma MeViro para que outras pessoas consigam replicá-los onde quer que estejam.

EXPOSIÇÃO

Exposição dos protótipos desenvolvidos pelos residentes da 3ª Residência Hacker.

Local: Galeria Transitória

Projetos:
1) Micro Aerogerador;
2) Tecnologia Cidadã por meio de estações meteorológicas modulares;
3) Flux;
4) ClimoBike;
5) Horta vertical automatizada.

Saiba mais em: https://www.redbull.com/br-pt/red-bull-basement-selecionados-da-3-residencia-hacker